Menu

DAYS GONE (CRITICA)

25 de junho de 2019 - Games, Games I Critica
DAYS GONE (CRITICA)
Anúncios

No fim de Abril, recebemos o novo game exclusivo da Sony, o aguardado Days gone produzido pela Bend Studios e distribuído pela Sony.

Vale a pena essa nova aventura ? confira;

Ficha Técnica

Nome: Days Gone

Plataformas: Exclusivo para PS4;

Gênero: Shooter, Terceira Pessoa;

Quantidade de jogadores: 1

Estúdio: SIE Bend Studios

Publicadora: Sony Interactive Entertainment

Data de lançamento: 26/04/2019

Days Gone foi anunciado tem um tempo, lá na E3 de 2016, me lembro que a minha impressão sobre o primeiro visual do jogo foi “interessante, hordas muito promissor mais com a ressalva de nao ser mais do mesmo”. Mantive essa ideia até entrar na pele do Deacon e confesso que e por ai.

Deacon St. John

Para aqueles que não conhece, o jogo é um shooter, de apocalipse zumbi, em terceira pessoa, produzido pela Bend Studio e distribuído pela Sony como exclusivo para PS4. Você controla o Deacon, motoqueiro que suas emoções são bem fechada, jogo começa dois anos depois de um vírus que transformou boa parte da população em “Frenéticos”.

A história se passa em um pedaço do Oregon, nos EUA, o game foca na solidão e liberdade de Deacon, preceitos de justiça, um final já vistos em filmes sobre o fim do mundo.

O tema apocalipse zumbi, cultos, sobrevivência é um tema difícil, tanto para filmes em geral, são temas batidos e para conseguir uma inovação é um grande problema. Days gone transmite muito bem o gênero com todos elementos com muitos detalhes e paixão, porem nao é inovador.

DIFICULDADE, nao chega a ser punitivo, nao é moleza, e uma experiencia balanceada, o sistema de mira é preciso ainda que deriva de um tempo para acostumar, o sistema de recursos nao é nada alem de regular para obtê-los, os frenéticos em quantidade maior e em decorrência do ambiente noturno se torna mais difícil o grande desafio são as hordas.

olha a horda vindo !!!

HISTORIA, uma boa historia, nada de novo mais que faz você querer saber o desfecho com cenas de certa forma emocionantes, chocantes e de bastante ação. O começo é a parte arrastada da historia, varias horas de gameplay é você arrastando o analógico para frente com vários diálogos e mais diálogos chega a dar sono, porem um pouco antes da metade começa a ficar interessante.

A trama passa entorno da busca do amor perdido, na esperança de Sarah personagem afetivo do protagonista de estar viva, em meio a uma situação dramática com seu melhor amigo e para mim o melhor personagem Boozer.

Extremamente grande o jogo, para alguns será um grande incomodo para mim não foi, mas certamente se você não gosta de jogos grandes ficará incomodado com esse quesito mais lembrando é muito de pessoa para pessoa.

MUNDO ABERTO, é enorme, varias coisas secundarias, paisagens, cachoeiras, cidades abandonadas, grutas e etc.., acampamentos dos ripers, saqueadores, postos da NERO, Hordas, lobos, corvos e ursos estão presentes também, ninhos infectados e muito mais.

mudanças climáticas

O ambiente é algo louvável, os detalhes da neve caindo são impressionantes, exemplo; eu um local qualquer uma casa em temperatura normal é lindo porem se começa a nevar e você esperar começa a juntar neve e fica e lindo a lama do jogo chuva são muito bem detalhados, o gráfico é espetacular com certeza um dos pontos mais fortes do game, o modo foto é garantia de diversão e belos wallpapers.

Há acampamentos diferentes na jogatina, com cada um sua moeda (recompensa) e submissões podendo neles adquirir armas, melhorar a moto e mais… o legal é que um acampamento e mais legal, outro retratado como trabalho quase escravo, a uma grande diferença tornando o gameplay mais interessante.

PROGRESSÃO, é bastante simples ao melhor estilo RPG, ganha lvl e adquire pontos de habilidade em uma arvore de skills, a complexidade mesmo esta nos acampamentos que cada um tem seu lvl e la vai ter um motor melhor para você melhorar, alguma arma especifica mais nada muito difícil de se compreender.

Deacon St. John é um cara difícil, sabe? No começo do game, se por um milagre você morrer, você não vai sentir muita pena. Ele parece ser um cara egoísta, arrogante, recalmão e que você não tem ideia de como o Boozer, o melhor amigo dele, aguenta esse rapaz – ou como ele tinha uma esposa que parecia legal.

No entanto, se você persistir o suficiente, o Deacon tem uma evolução MUITO evidente e que te faz entender e até gostar do personagem -No fim das contas, ele é só um cara recalmão e rabugento, mas é bem divertido e gente boa também.

Os flashbacks são o que mais adicionam pra ele, então esperem até ver ele interagindo com a Sarah ou chegando no terceiro acampamento do jogo. Aí dá pra julgar melhor.

PONTOS POSITIVOS, perseguições de moto, matar hordas, andar pelo mundo aberto, trilha sonora que são lindas ao melhor estilo Johnny Cash encaixam bem com a trama, dublagem bem feita nao só do Deacon mais de todos são legais, ambiente e gráficos são o que podemos chamar de cereja do bolo.

PONTOS NEGATIVOS, historia demora a engrenar, bugs que nao são pouco ainda que correções já melhoram a jogatina em vários porcentos, havia também em alguns momentos queda de frame mais nada que atrapalha sua experiencia, algumas funções do gameplay poderia ser bem mais exploradas como a visão periférica e plantas até o sistema de craft que nao passa de simples.

VEREDITO

Me diverti bastante jogando Days Gone, apesar de seu inicio lento e chato o jogo brilha na beleza e cuidado do estúdio para entregar uma experiencia balanceada com momentos de tensão, nao é nada inovador porem é um bom jogo digno de ser recomendado principalmente aqueles que ama o gênero, platinei o jogo pois digo que sou apaixonado pelo gênero e sim e muito gostoso matar hordas.

De 0 a 5

Deixe seu comentario o que achou do game.. Abraços galera .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *